Definida empresa para obras de viaduto em Botucatu

A superintendência do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) em São Paulo realizou a sessão pública para abertura das propostas de preços das empresas que participam da concorrência pública para a construção do viaduto que ligará as regiões norte e leste, em Botucatu (Jardim Cristina/Jardim Paraíso).

Cinco empresas demonstraram interesse na execução da obra e foram habilitadas para o certame: Contersolo Construtora de Obras Ltda., Villanova Engenharia e Desenvolvimento Ambiental S/A, ETC Empreendimentos e Tecnologia em Construções Ltda., Engenharia e Comércio Bandeirantes Ltda. e DP Barros Pavimentação e Construção.

O projeto trata da construção de um viaduto de 140 metros de extensão, que ligará o residencial Arlindo Durante, na altura da Rua Luiz Carnieto, até a Rua José Barbosa de Barros, nas imediações do Parque Municipal “Joaquim Amaral Amando de Barros”, no Jardim Paraíso. Com prazo de execução de 18 meses, a obra estava orçada em R$ 13.320.447,50.

A menor proposta, no valor de R$ 12.207.654,68, foi apresentada pela Contersolo, empresa com sede no interior do Paraná. A ata com o resultado da sessão já foi publicada no site do DNIT. Os analistas do órgão agora trabalham na verificação de toda documentação e planilhas apresentadas pela empresa.

Se não houver nenhum problema, a previsão é que a publicação do resultado seja feita no Diário Oficial da União em, no máximo, cinco dias. A partir daí corre o prazo de mais cinco dias para apresentação de recursos. Não havendo nenhuma contestação, o processo será homologado permitindo a contratação da empresa.

Por se tratar de uma obra considerada prioritária pela superintendência do DNIT, em razão da mesma melhorar o fluxo de veículos e permitir a ligação entre duas regiões populosas da cidade, a expectativa é que a assinatura do contrato aconteça no próximo mês de abril.

A construção do viaduto, que ligará as regiões norte e leste, integra o novo plano viário proposto para a cidade através do projeto Botucatu 2025 apresentado no ano passado pela Prefeitura de Botucatu.

O prefeito João Cury Neto fez gestões ao deputado federal Milton Monti que garantiu recursos do Ministério dos Transportes para a execução da obra. Desde o início, o processo também conta com apoio do vereador Reinaldo Mendonça Moreira, o Reinaldinho.