Defesa Civil participa de Seminário em São Paulo

O coordenador da Defesa Civil, Paulo Renato da Silva, esteve em São Paulo, na última quinta-feira (10), para participar do Seminário “Construindo Cidades Resilientes” promovido pelo CEPAM (Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal).

O evento, que compôs a Semana Mundial de Prevenção de Desastres, reuniu representantes de governos locais e da sociedade civil organizada que se preocupam em unir esforços, integrar setores e desenvolver ações inovadoras capazes de diminuir as vulnerabilidades das cidades e prepará-las para resistir, absorver e se recuperar, de forma eficiente, dos efeitos de um desastre e, de maneira organizada, prevenir que vidas e bens sejam perdidos.

A abertura do seminário contou com as presenças do presidente do CEPAM, Lobbe Neto; do coronel PM Marco Aurélio Alves Pinto, secretário-chefe da Casa Militar; do secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas e do diretor acadêmico e da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), Waldomiro Loyola.

Estiveram em discussão diversos temas como “Lançamento do Ensino a Distância (EAD) para agentes municipais da Defesa Civil”; “Defesa Civil para Todos: promoção da dignidade da pessoa humana”; “Reconhecendo o risco”; “Tecnologia a serviço da Defesa Civil: monitorando riscos e desastres”; “Plano municipal de Defesa Civil: em busca da resiliência”; “Cultura da Resiliência pela Educação”; “Atuação do município em emergências químicas”; “Pessoas com deficiência na relação com os desastres” e “Como formalizar convênio com a Defesa Civil do Estado”.

A ONU está desencadeando essa campanha em todo o mundo e no Brasil as ações tiveram início pelo Estado de São Paulo. Até o momento pouco mais de 50 municípios aderiram ? iniciativa. Botucatu já iniciou o processo de adesão. Na segunda-feira, o prefeito João Cury encaminhará ofício para manifestar o interesse em associar-se ? causa.

“Teremos que cumprir alguns requisitos, desenvolvendo ações de educação, prevenção, executando obras e desenvolvendo políticas públicas com a finalidade de orientar a população e prepara a cidade para diminuição de danos em eventuais desastres”, informa Paulo Renato.