Defesa Civil divulga estatísticas do 1° semestre

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil do Município, coordenada por Paulo Renato da Silva, apresentou esta semana as estatísticas dos mais diferentes atendimentos realizados durante o primeiro semestre de 2014, em diferentes regiões da Cidade. No total foram feitas 473 ações diretas com a população. “Podemos dizer que o resultado foi satisfatório e as ações foram desenvolvidas com muitas pessoas recebendo o atendimento emergencial”, disse Silva.

Fizeram parte desta estatística podas preventivas de árvores em risco em parceria com a Secretaria Meio Ambiente (159);  atendimento ao público (126); processos recebidos/expedidos (69);  vistoria técnica (63);  ocorrências em parceria com o Corpo de Bombeiros (21);  destelhamento (08);  queda de árvore (08); incêndio (07);  laudo de intervenção emergencial (06); desabamento (05);  laudo técnico (04); inundação (02); obra em risco (02);  e árvore com risco eminente de queda (01).

Segundo Paulo Renato, estão inseridas nessa estatística apenas as ações diretas feitas com a população. “Também fazem parte das ações, vários programas educativos de prevenção, promoção de palestras, campanhas (como a Verão e Queimadas), cursos, entre outras. Se todo o trabalho for computado atingiremos mais de mil ações”, destaca.

A Coordenadoria foi criada através de Projeto de Lei Complementar nº 1/2004. Com a lei sancionada passou a funcionar como secretaria e ficou subordinada diretamente ao prefeito municipal, com a finalidade de coordenar, em nível municipal, todas as ações de defesa civil, nos períodos de normalidade e anormalidade nas hipóteses de desastre, situação de emergência e calamidade pública.

Lembra Paulo Renato que entre as atribuições da Defesa Civil está a identificação e mapeamento das áreas de risco de desastres; promover a fiscalização das áreas de risco de desastres e vedar novas ocupações nessas áreas; declarar situação de emergência e estado de calamidade pública; vistoriar edificações e áreas de risco; e promover, quando for o caso, a intervenção preventiva e a evacuação da população das áreas de alto risco ou das edificações vulneráveis.

“Outras atribuições são organizar e administrar abrigos provisórios para assistência à população em situação de desastre em condições adequadas de higiene e segurança; manter a população informada sobre áreas de risco e ocorrências de eventos extremos, bem como sobre protocolos de prevenção a alerta e sobre as ações emergenciais em circunstâncias de desastres; mobilizar e capacitar os radioamadores para atuação na ocorrência de desastre; realizar regularmente exercícios simulados;  e promover a coleta, distribuição e controle de suprimentos em situações de desastre”, enumera o coordenador de Defesa Civil.

“Também é da responsabilidade da Coordenaria promover a avaliação de danos e prejuízos das áreas atingidas por desastres; manter a União e o Estado informando sobre a ocorrência de desastres e as atividades de proteção civil no Município; e estimular a participação de entidades privadas, associações de voluntários, clube de serviços, organizações não governamentais (ONGs) e associações de classe e comunitárias e promover treinamento de voluntários para atuação conjunta”, finaliza.