Consumo de Botucatu está entre os maiores do Estado

Foto: Valéria Cuter

 

A cada R$ 100 gastos no País, pouco menos de R$ 0,10 é de responsabilidade da população de Botucatu, de acordo com pesquisa da IPC Marketing Editora, empresa especializada em informações de mercado. O potencial de consumo de Botucatu, em 2014, deve chegar a R$ 3.169.332.196,00. Até 2008, este potencial era de R$ 1.663.540.286. “Isso corresponde a um aumento de 52% no período e indica que Botucatu teve crescimento acima da média nacional”,  aponta Marcos Pazzini, um dos sócios da IPC Marketing.

Os novos números colocam Botucatu em 47º (Estado) e 148º (Nacional) no ranking de municípios com melhores potenciais de consumo. São Paulo, capital, lidera os rankings dos municípios com R$ 287,7 bi em consumo. Já o potencial total do Brasil é de R$ 3,2 trilhões.

Em 2008 o consumo per capita na Cidade era R$ 13.730,20 (área urbana) e R$ 5.379,86 (área rural). Na época Botucatu contabilizava 38,3 mil residências na área urbana. Desse total havia 2.457 famílias na classe A (Alta)  e outras 13.577 na classe B (Média), que somadas representavam 41,8% da população. A classe C (Emergente) era representada por 15.526 famílias (40,4%). Já as classes D/E (Baixa Renda), juntas, contabilizavam na época 6.839 moradias (17,8%).

Em 2014 o consumo per capita em Botucatu, ou seja, consumo médio por habitante no ano chega a R$ 23.216,70 (área urbana) e R$ 16.016,65 (área rural). Dos mais de 46,1 mil domicílios urbanos, 3.477 e 21.177, respectivamente, são de famílias classe A e B e representam juntas 53,4% da população.  A classe C contabiliza 18.824 (40,8%). A queda mais expressiva está nas classes D/E que hoje é representada por 2.628 domicílios (5,7%).

Estes bons indicadores revelam que além do aumento natural da população, hoje o número de pessoas empregadas é bem maior. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), até dezembro de 2008, o Município tinha 32,5 mil pessoas com carteira assinada. Em abril de 2014 este número já ultrapassou 37,7 mil.

Na avaliação do prefeito de Botucatu, João Cury Neto, este e outros índices que colocam o Município em destaque no cenário estadual e nacional tendem a melhorar a cada ano. “Botucatu está em um excelente momento de desenvolvimento, com novas obras, equipamentos públicos e empreendimentos privados chegando. Além disso, temos um povo diferenciado, com nível de educação e cultura acima da média nacional, o que também eleva o nível de exigência naquilo que é consumido”, comenta.

 

Como é feita a pesquisa

O estudo IPC Maps foi lançado com o formato atual em 1995. O levantamento da IPC Marketing utiliza como base para os dados as informações de fontes oficiais, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fundação Getúlio Vargas (FGV), Associação Brasileira de Estudos Populacionais (Abep), Ministério da Fazenda, entre outras.

O estudo analisa o PIB sob a ótica de demanda e isola o valor referente ao consumo final das famílias. Os valores de cada ano são projetados com base na expectativa de crescimento da economia. Posteriormente este valor do país é distribuído para cada um dos 5.570 municípios brasileiros, de acordo com a quantidade de domicílios urbanos por classe econômica e total de domicílios rurais.

Os cálculos de potencial de consumo por classe econômica levam em consideração a quantidade de domicílios urbanos por classe econômica em cada município brasileiro. Finalmente é detalhado o potencial de consumo de cada município brasileiro, em 22 categorias de consumo, de acordo com a estrutura da Pesquisa de Orçamentos Familiares, do IBGE.