Construção de casas em duas regiões está acelerada

Está em ritmo acelerado a construção de casas populares dos residenciais Flora Rica e Maria Luiza, consequentemente nas regiões Leste e Sul de Botucatu.

No Flora Rica, localizado na Rua Nido Vizotto em pleno Comerciários, 211 unidades habitacionais estão em estágio avançado de construção que deve ser finalizada ainda neste primeiro semestre. Elas terão 45,64 m² com dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço em lote de área mínima de 200 m². O valor de cada unidade é de R$ 74.950,00 e o prazo de financiamento pode chegar a até 300 meses.

Já quem passa pela Rodovia Gastão Dal Farra, ao lado das 407 imóveis do Santa Maria 1 entregues ano passado, pode ver mais 594 unidades serem erguidas no Maria Luiza e que deverão estar prontas no segundo semestre deste ano. Outras 223 serão construídas em um terceiro módulo. Cada imóvel terá 42,75 m² divididos em dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. O lote tem área mínima de 200 m². O valor de cada unidade é de R$ 64.000,00 e o prazo de financiamento pode chegar a até 300 meses.

Segundo o secretário municipal de Habitação, Edson Bertani, ambos os empreendimentos estão nos prazos adequados de execução. “Além das casas, que já estão na fase de cobertura, a construtora já começou a trabalhar na infraestrutura do local como a construção da rede de água, esgoto e guias, para depois o asfalto chegar nas ruas destes residenciais”, informa.

Ele lembra ainda que as unidades habitacionais do Flora Rica e Maria Luíza, diferente do Santa Maria 1, serão entregues sem a necessidade de sorteio e que os imóveis tem características diferentes. “As casas possuem laje de concreto pré-moldado e telhas de cimento, mais pesadas, que dificultam o destelhamento em casos de ventos mais fortes”, detalha.

Os dois novos conjuntos foram viabilizados pelo programa municipal “Nosso Sonho”, criado pela Prefeitura para impulsionar a política habitacional dentro do Município. A construção das casas é feita pela Pacaembu Empreendimentos e Construções Ltda. e os financiamentos pela Caixa Econômica Federal, através do Ministério das Cidades.

O total de investimento chega a R$ 34 milhões e destina-se ? aquisição de terreno e construção de moradia para pessoas físicas com renda de 3 a 10 salários mínimos. As unidades se enquadram no programa “Minha Casa, Minha Vida” que utiliza recursos oriundos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR).

{n}Uma casa por dia{/n}

Buscando reduzir o déficit habitacional que cresceu de maneira significativa nos últimos anos por conta da falta de grandes investimentos em moradia no município, a Prefeitura mantém o desafio de atingir a marca de uma casa construída por dia ao longo dos quatro anos da atual administração, ou seja, de janeiro de 2009 a dezembro de 2012.

Além das 407 unidades já entregues do Residencial Santa Maria 1, e da construção das 817 moradias do Maria Luíza e outras 211 do Flora Rica, o governo municipal também já assinou um protocolo de intenções com o Governo do Estado para a construção de mais 150 unidades, em uma área de mais de 70 mil metros quadrados, em frente ao residencial Arlindo Durante, na Rodovia Alcides Soares.

Também já há projetos elaborados e negociações adiantadas para viabilizar moradias destinadas ? população de baixa renda no Distrito de Rubião Júnior. Outro projeto bem encaminhado é de implantação de um conjunto de 16 residências do programa “Vila Dignidade”, que deverá ser erguido na Cohab 1.