Concessionária se manifesta sobre os postes tortos em rodovia

Acontece Botucatu mostrou na última terça-feira, 23, que dois postes inclinados tem causado polêmica entre os motoristas que passam pela rodovia Domingos Sartori, ligação entre o centro de Botucatu e o campus de Rubião Júnior da Unesp. No final da tarde de quarta-feira, 24, a assessoria de imprensa da empresa Rodovias do Tietê, concessionária que administra a Domingos Sartori, enviou à redação do Acontece uma nota sobre o assunto.

''A Rodovias do Tietê informa que notificou à CPFL no dia 02/02 em relação ao risco de queda dos postes na Rodovia Domingos Sartori e a mesma já programou tal reparo. Salientamos que a execução e troca dos postes não é de responsabilidade de Rodovias do Tietê e sim da CPFL''.

Relembre o caso

A Rodovia Domingos Sartori é um dos locais mais movimentados da cidade, afinal, milhares de carros passam pela via todos os dias nos sentidos Botucatu/Unesp/Botucatu. E há alguns dias uma situação inusitada tem chamado a atenção dos motoristas. Pelo menos dois postes de iluminação da CPFL estão inclinados sobre a rodovia. "A impressão é que os postes estão prestes a cair. Alguém precisa tomar uma providência urgente. É um risco muito grande para quem passa por aqui todos os dias", reclamou Leonardo Oliveira.

O problema se dá perto da rotatória do condomínio Parque das Cascatas e em frente ao condomínio Spazio Verde. Mas não é apenas a situação dos postes que assusta, o que agrava o problema é demora em resolver a situação. Recentemente os postes na rodovia foram alvo de um requerimento do vereador Reinaldinho (PR) pedindo atenção para o problema.

Para o secretário municipal de Obras André Peres, a situação está insustentável. “Eu fiz diversos ofícios para a CPFL. Na última semana estive com alguns diretores da Companhia onde relatei isso. Disse que era uma vergonha para a CPFL deixar postes caindo em uma rodovia com esta”, colocou André Peres.

A funcionária do Hospital da Clínicas de Botucatu, Joice Camargo, conta que ficou assustada. "Dá medo passar e ver a gambiarra que foi feita. Ainda mais porque os carros passam em baixa velocidade, a sensação e que aquilo vai cair sobre a gente", disse ela. 

CPFL diz que não há perigo e troca ocorrerá em uma semana

A CPFL informou através do consultor de negócios da empresa, Francisco Ramos, que a troca será feita em breve. Ele explicou que é necessário substituir as chaves de energia antes da retirada dos postes. “Não é um procedimento simples, pois, antes de retirarmos os postes, precisamos desligar as chaves de energia”, disse.

“Como não podemos deixar a Unesp e o hospital sem energia, estamos improvisando uma forma de trabalhar, para que os serviços mais urgentes não sejam afetados. O trabalho de desligamento das chaves já começou, sendo que a retirada dos postes deve ocorrer em uma semana”, completou Ramos.

Sobre a segurança dos postes, Francisco Ramos afirma que a CPFL fez um serviço de escoramento e os mesmos não oferecem risco de queda. “O serviço foi feito na base de cada um. Não há a mínima chance de cair, está seguro. Garanto que o trabalho executado para escorá-lo é fruto de estudo de nossos engenheiros e não uma gambiarra”, explica.