Concessionária mantém previsão de liberação da Serra em abril. Isenção de pedágio dependente da ARTESP

Na manhã desta quinta-feira, 10, a concessionária Rodovias do Tietê, administradora da Rodovia Marechal Rondon, abriu a Serra de Botucatu para visitação da imprensa. É possível notar que trabalhadores estão concentrados em dois trechos, sendo o mais afetado no km 237. É justamente nesse ponto que começam as interrogações.

O asfalto cedeu após as fortes chuvas no mês de janeiro. Desde então a Serra está interditada, causando enormes prejuízos aos moradores. O engenheiro português Bernardo da Silva, coordenador de engenharia da Rodovias do Tietê, afirma que medidas paliativas estão sendo tomadas nos dois trechos de interdição, KM 266 e KM 267. “Essa solução de contenção prevê estacas cravadas a 12 metros e 15 metros de profundidade, dependendo do ponto, para conter o que danificou da pista. É uma solução paliativa para que seja liberado o trecho que ficou intacto”, disse, disse Bernardo.

A nova data prevista para liberação da via é primeira quinzena de abril.  Caminhões, no entanto, não serão liberados nesse primeiro momento. “O problema não é a carga e nem o peso do caminhão, mas sim o espaço físico. No segundo trecho de interdição não há espaço na curva. É complicado o caminhão fazer a curva e invadir a pista contrária”, explicou o engenheiro.

Haverá a liberação apenas de duas faixas da pista que sobe, sendo que por enquanto não há previsão do sistema siga e pare. Sobre outros pontos que não sofreram danos, Bernardo da Silva afirma que tudo está sendo monitorado. Há a informação de que dados estão sendo coletados a uma profundidade de até 30 metros.

Concessionária assume Estrada da Indiana

Há a expectativa de que a Concessionária assuma as obras de melhorias da estrada Geraldo Biral BTC-465, já que o local tem sido utilizado como acesso alternativo para as regiões abaixo da Serra. Este caminho da Indiana recebeu uma avalanche de críticas por parte de usuários desde a interdição da Serra.

Bernardo da Silva disse que a via será avaliada para que uma decisão seja tomada. E reunião na última quarta-feira, com representantes da Artesp e Rodovias do Tietê, o Deputado Estadual Fernando Cury disse que havia o compromisso da Concessionária em assumir as obras de melhoria na Indiana.

E o pedágio de César Neto ?

Há um forte movimento para que o pedágio localizado abaixo da Serra de Botucatu seja liberado da cobrança. Usuários e moradores exigem que a cobrança seja suspensa no período de interdição.

A Rodovias do Tietê afirma que não tem autonomia para isso, sendo a decisão de responsabilidade da ARTESP. “ Existe a solicitação, e a Concessionária concordou, desde que tenha autorização da ARTESP. Faremos uma gestão junto ao órgão para que a isenção seja colocada neste momento”, colocou na nesta quarta, 09, o Deputado estadual Fernando Cury.

Enquanto isso, há dois meses, usuários e moradores são castigados pela cobrança e por caminhos tortuosos que aumentam a distância, o consumo de combustível, e claro, a cobrança do pedágio. Além da Rodovias do Tietê, a empresa Sondosolo Geotecnia e Engenharia Ltda trabalha na recuperação da Serra.