Cidade recebe capacitação de desenvolvimento infantil

Representantes da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Alba Lúcia de Campos e Christianne Lima Nascimento realizaram na Secretaria Municipal de Educação uma capacitação sobre desenvolvimento emocional de família de crianças de 0 a 3 anos e oficinas. Participaram das atividades, que fazem do projeto de desenvolvimento infantil “Pró-Criança” implantado na Cidade, profissionais das Secretarias de Saúde, Educação e Assistência Social.
De acordo com Alba Lúcia, psicóloga, a capacitação teve como objetivo levar aos profissionais o poder de multiplicar para todas as unidades este conteúdo com uma linguagem única e discutir aspectos importantes e fundamentais do desenvolvimento emocional, que se baseia no vínculo entre os pais e as crianças.

Durante a capacitação foram realizadas duas oficinas: a do “Brincar”, onde os participantes aprenderam a fazer brinquedos para poder utilizar junto com as crianças e também foram utilizados livros de histórias; e a da “Meleca”. Segundo Christianne Lima Nascimento, nesta oficina foi confeccionada uma massa comestível, que simboliza a vivência emocional da criança, criada para ensinar as mães sobre o controle das necessidades fisiológicas de seus filhos.

{n}Desenvolvimento Infantil (DI){/n}

Esse é o programa que a Fundação financia em Botucatu. Com este programa, a FMCSV visa desenvolver melhores estratégias de disseminar, implementar e incorporar conceitos de Desenvolvimento Infantil na prática de famílias e profissionais, enfatizando a importância das relações interpessoais da criança, no período da concepção até os 3 anos de idade, para o seu desenvolvimento integral.

O convênio com a Prefeitura de Botucatu foi assinado no dia 4 de novembro de 2009. No Município, o programa de Desenvolvimento Infantil ganhou o nome de “Pró-Criança”. Pelo acordo firmado, o Município recebe recursos para implantar a iniciativa que pretende qualificar e humanizar a atenção ? família e influenciar no desenvolvimento das crianças de 0 a 3 anos. A entidade paulistana irá beneficiar a Cidade com um investimento de R$ 750 mil para implantação do projeto.

De acordo com a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Rachel Cury, a intenção é promover ações de vínculo entre a criança e a família desde antes do nascimento, que são realizadas no âmbito da saúde, educação infantil e assistência social.

{n}Investimento{/n}

Em 2010 teve início a capacitação dos profissionais de atenção básica das áreas de saúde, educação e assistência social que fazem atendimento direto ? população alvo. Eles recebem treinamentos sistemáticos e supervisões programadas para implantar ações e agir como agentes multiplicadores.

São oferecidos treinamentos aos envolvidos com exames pré-natais, educadores e cuidadores de creche, equipes de parto, profissionais da área de amamentação e puericultura. Também é estimulada a formação de grupos de familiares de adolescentes grávidas; a criação de espaços lúdicos em hospitais, unidades básicas de saúde e postos de atendimento; e a promoção de encontros de reflexão interativa com pais.

Em seguida serão oferecidos ao Município investimentos necessários para o pleno desenvolvimento do projeto, como equipar as unidades de serviços para implantação de ações de informação e educação; criação de espaços lúdicos dotados com acervo adequado para crianças de 0 a 3 anos e aprendizagem dos pais sobre a importância do brincar para o Desenvolvimento Infantil; além da compra de aparelhos multimídias, como câmeras fotográficas, teatro de fantoches, brinquedos pedagógicos e bibliotecas. O convênio ainda fornece a cobertura de despesas operacionais e referentes a gestão do projeto com contratação de profissionais.

{n}Fundação Maria Cecília Souto Vidigal{/n}

A Fundação Maria Cecília Souto Vidigal – FMCSV – é uma fundação familiar, criada em 1965, que atua na geração de conhecimento sobre temas relevantes e dissemina alternativas de aplicação do conhecimento disponível para a solução de problemas iminentes ou futuros da sociedade.

Uma equipe profissional coordena as atividades da Fundação, cujo direcionamento é definido pelo Conselho de Curadores. Um Conselho Fiscal acompanha suas atividades e a qualidade da aplicação dos recursos do Fundo Patrimonial e dos seus rendimentos.

Fonte: Secretaria de Comunicação