Chuvas ocasionam transbordamentos, refluxos e danos materiais

Mais uma vez as fortes chuvas que desabaram sobre o Município durante toda a tarde gerou conflitos em diferentes regiões da cidade e alguns alagamentos foram registrados. E a previsão do tempo não é animadora, ou seja, o céu continuará carregado com probabilidade de pancadas nas próximas horas.

Embora a chuva tenha caído forte e constante, não houve ventania que poderia ocasionar destelhamento de casas e quedas de galhos de árvores. O Corpo de Bombeiros esteve tranquilo e poucos foram as chamadas por causa da chuva.

Em alguns pontos da cidade chegou a faltar energia elétrica, quando a chuva caiu com mais intensidade. Os casos mais comuns foram relacionados a alagamentos de ruas em alguns pontos como a Avenida Dante Delmanto, Elevado Bento Natel e a Avenida Vital Brazil, com o transbordamento do Rio Água Fria, na região do Terminal Rodoviário. Também houve refluxo de água de esgoto que retornou para as residências.

O coordenador da Defesa Civil do Município Domingos Chavari Neto, comentou que irá fazer o levantamento nos estragos que as chuvas causaram e detectar se em alguma casa houve invasão de água e lama. Adianta que visitou vários pontos com problemas e que a Defesa Civil permanece em estado de atenção para qualquer eventualidade

Diz que como não houve ventania e o maior problema enfrentado foi mesmo com o refluxo de água do esgoto em diversas residências. “Isso acontece porque alguns moradores desviam a água da chuva pela rede de esgoto e isso faz com que haja excesso de água que não tem para onde ir e acaba retornando ? s casas, pelo ralo”, revela Chavari.

Os casos mais graves atendidos pela Defesa Civil até as 21 horas foram ? queda da parede de uma casa na Rua Cinco, no Bairro 24 de Maio em razão da lama e um muro que caiu na Vila dos Lavradores. “Esses dois casos foram os mais graves, mas os danos foram materiais e, felizmente, não tivemos vítimas”, observou Chavari.

Ele diz que nesta terça-feira estará visitamos vários pontos onde a chuva possa ter causado danos. “Ainda não tenho o levantamento completo, mas sabemos que quando chove forte, famílias são afetadas. A gente lamenta os danos causados e agora vamos procurar prestar nosso apoio e a ajuda necessária”, concluiu.

Os casos mais graves atendidos pela Defesa Civil até as 21 horas foram ? queda da parede de uma casa na Rua Cinco, no Bairro 24 de Maio em razão da lama e a queda da parede de outra casa na Rua Brás de Assis, nº 365 (foto), Vila dos Lavradores. “Esses dois casos foram os mais graves, mas os danos foram materiais e, felizmente, não tivemos vítimas”, observou Chavari.

{bimg:16360:alt=interna1:bimg}