Chuva e vento afetam diferentes pontos da Cidade

A tempestade acompanhada de fortes ventos ocorrida na tarde desta terça-feira (1º de janeiro) gerou grandes transtornos em diferentes pontos da Cidade e exigiu empenho de instituições como a Defesa Civil, Guarda Civil Municipal (GCM), Secretaria Municipal de Assistência Social, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, entre outros se estendeu até ? noite para dar atendimentos ? pessoas afetadas pelas chuvas.

Foram registrados casos de destelhamentos de residências, inundações, quedas de muros e de árvores. Em alguns pontos da cidade também houve falta de energia em razão de sobrecarga elétrica causada pelos raios deixando os moradores sem luz e transbordamentos, principalmente, dos rios Água Fria, nas proximidades do Terminal Rodoviário e Lavapés.

Uma das regiões mais atingidas foi o Bairro Alto, mas em outros bairros como Altos da Serra, Centro, Parque Marajoara, Vila São Benedito, Jardim Peabiru, Real Park, Vila Maria, Vila Assumpção, Lavapés, Vila Aparecida, Cohab 1, entre outros, também foram afetados.

O coordenador da Defesa Civil do Município Paulo Renato da Silva, esteve em vários locais afetados pelo temporal e está fazendo um levantamento nos estragos que as chuvas causaram e buscar uma solução para tentar ajudar os moradores.

“Nós tivemos uma tarde de feriado bastante agitada e visitamos vários pontos onde a chuva causou estragos e esse trabalho vai continuar. Nossa preocupação maior é verificar se as pessoas não estão correndo risco, permanecendo nas casas, principalmente as que moram em locais de riscos, próximas a barrancos ou ribeirões”, observou Silva.

Embora os danos materiais tenham sido consideráveis não há registro de pessoas feridas. “A chuva foi muito forte e atingiu vários bairros. Lamentamos as perdas que as pessoas tiveram, mas pelos menos não tivemos nenhum caso de dano físico. Agora essas pessoas terão que reconstruir o que foi perdido e nós estaremos ao lado delas para ajudar no que for preciso”, colocou Paulo Renato.

{n}Plano Preventivo{/n}

Vale lembrar que a Defesa Civil do Município e a Guarda Civil Municipal (GCM) iniciaram o “Plano Preventivo de Verão”, que se prolongará até o mês de março de 2013. Será um conjunto de ações baseado no acompanhamento das chuvas (de verão), permitindo tomar medidas preventivas que evitem ocorrências graves e até fatais. Estação caracteriza-se por chuvas fortes, muitas vezes, excessivamente, prolongadas ou acompanhadas por raios e vendavais, que geram prejuízos econômicos e sociais.

O plano é um convênio firmado entre o Município e Governo do Estado através da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil (Cedec), que encaminhou ? Botucatu materiais para uso dos agentes como 20 botas de galochas, 17 capas de chuva, 05 rolos de fita para isolamento de áreas, 07 lonas plásticas para cobertura, 30 coletes, um pluviômetro para medir a intensidade das chaves, um cone sinalizador, além de ferramentas como enxadas, pás e alicates.

O coordenador da Defesa Civil de Botucatu Paulo Renato da Silva enfoca que é neste período que a região sofre com a intensidade de fortes pancadas de chuva, gerando uma série de problemas como deslizamento de terra, destelhamento de casas, desabamentos, inundações, alagamentos, enxurradas, queda de árvores, entre outras situações de risco.

Grande preocupação da Defesa Civil é com relação ? s pessoas que residem em áreas consideradas de risco. “Estamos orientando a população quanto ao perigo de viver nestes locais e alertando para que durante períodos de chuva ao verificar qualquer sinal de risco de acionar o telefone 199”, ensina Paulo Renato. “Para nós a prevenção é a solução e em razão disso trabalhamos diuturnamente na conscientização da comunidade para minimizar riscos e propiciar atendimento ágil, rápido e eficiente”, emendou o coordenador.