Cemitérios estão informatizados para agilizar consultas

A data é 25 de agosto de 1893. O nome: Benedicto Pereira da Silva. A idade: apenas 18 meses. Os dados referem-se ao primeiro registro de sepultamento do Cemitério Portal das Cruzes, em Botucatu. Essas informações, que por muito tempo ficaram restritas ? s páginas amareladas de livros antigos – alguns com mais de 100 anos – agora poderão ser acessadas por qualquer pessoa, sem sair de casa.

A Prefeitura de Botucatu, através da Seção de Processamento de Dados, concluiu a digitação dos dados de aproximadamente 80 mil sepultamentos realizados nos cemitérios Portal das Cruzes, Jardim e de Vitoriana. O trabalho, iniciado em junho de 2010, foi realizado de forma meticulosa, com a utilização de um sistema de banco de dados e a colaboração de estagiários que ficaram responsáveis por transferir os dados de cada óbito para os computadores.

“Foi um trabalho complicado. O difícil era decifrar os nomes, porque a caligrafia de antigamente não ajuda muito. Também há informações incompletas nos registros de óbito. Em alguns casos, a pessoa enterrada teve lançado apenas o primeiro nome e a profissão. Foi um trabalho de formiguinha, minucioso, mas também de redescoberta, já que temos livros de mais de cem anos”, informa Décio de Campos, administrador do Cemitério Portal das Cruzes, onde já foram registrados quase 60 mil sepultamentos.

No Cemitério Jardim, o número de sepultamentos é menor, cerca de 7.300. Os dois principais cemitérios da cidade, que não contavam com recursos de informática, foram equipados com computadores e impressoras interligados ? Prefeitura e ganharão terminais de consulta touch screen que terão a finalidade de tornar mais fácil a busca por informações sobre pessoas sepultadas. No Cemitério Jardim, o equipamento já estará em funcionamento a partir de 2 de novembro, Dia de Finados. Já no Portal, a ideia é implantar o serviço depois da reforma programada para o local.

“Desenvolvemos um sistema onde o público, de maneira rápida, poderá localizar onde um parente ou amigo está sepultado. Com um simples toque na tela, a pessoa encontrará informações como data e número de sepultamento, filiação, quadra, rua e número do jazigo. Também é possível acessar um mapa do cemitério, tendo em destaque a quadra onde a pessoa foi sepultada”, explica o chefe da Seção de Processamento de Dados, Jorge de Campos Júnior, responsável pela coordenação do trabalho.

Se preferir, o interessado também poderá utilizar o sistema de pesquisa sem sair de casa. Para isso bastará acessar o link www.botucatu.sp.gov.br/cemiterio. A consulta aos dados estará liberada a partir desta quarta-feira (12). “Como há registros muito antigos e a quantidade de nomes é muito grande, a possibilidade de haver algum dado incorreto aumenta. Caso isso aconteça, a pessoa deve entrar em contato com o cemitério para que o cadastro seja alterado”, alerta.

Outra novidade foi a implantação do sistema de Recolhimento e Emissão de Taxas e Emolumentos, que até então era feito de forma manual pelos administradores dos cemitérios. O pagamento pode ser feito em qualquer agência bancária ou casa lotérica.