Campanha visa o passe livre do transporte coletivo

O que se pergunta que fica é se realmente é possível uma cidade como Botucatu oferecer transporte de graça para toda a população, afinal o dinheiro tem que sair de algum lugar para manter a estrutura e os serviços

 

Embora seja uma medida com pequenas chances de ser concretizada,  pelas redes sociais o partido PSOL está realizando um abaixo assinado que visa o uso gratuito do transporte coletivo em Botucatu. Hoje a tarifa está em R$ 3,35 e o serviço é explorado por duas empresas: São Dimas e Stadtbus. O movimento alega que o transporte é um direito social de todo cidadão e  realidade em 12 cidades brasileiras. Segundo aponta a página do partido na internet, mais de duas mil pessoas já assinaram.

O manifesto é liderado pelo Movimento Passe Livre, iniciado na primeira semana de 2016, em algumas cidades brasileiras, como São Paulo, e chegou a Botucatu, que em junho de 2013 teve uma grande manifestação popular com oito mil pessoas participando de uma passeata e entre as principais questões estava a redução valor das passagens do transporte público, aumento do valor do salário mínimo, a quebra do cartel de postos de combustível, que é um dos mais altos da região, além de mais investimentos na educação, esportes e postos de saúde.

A pergunta que fica é se realmente seria possível uma cidade como Botucatu com seus 140 mil habitantes oferecer transporte de graça para toda a população, afinal o dinheiro tem que sair de algum lugar para manter a estrutura e os serviços. É uma decisão política que envolve uma decisão econômica, sobre o que vai se priorizar no orçamento e de onde que se iria buscar recursos para viabilizar o serviço para a população

Os manifestantes citam que em todo o mundo são 86 cidades, em 24 países, que não cobram tarifa para que a população acesse o transporte público. No Brasil, 12 cidades também já adotam o modelo. Agudos, no interior é uma delas e desde dezembro de 2003 os habitantes podem andar de ônibus gratuitamente na rede municipal. Os ônibus são operados pela prefeitura e os motoristas são funcionários concursados.