Campanha visa coibir vandalismo na Avenida Dom Lúcio

Uma reunião realizada nesta quarta-feira no auditório da Secretaria Municipal de Educação, com pessoas ligadas aos mais variados segmentos da sociedade botucatuense para discutir o lançamento da campanha “Movimento Viva Dom Lucio”, com a finalidade de coibir atos de vandalismo no horário noturno, principalmente nos finais de semana. Até um abaixo assinado está sendo feito para pleitear maior segurança.

O ponto de maior incidente citado na reunião foi no trecho compreendido entre a Praça Rubião Júnior (Catedral) até o Jardim São José, que se transformou em um dos principais corredores do comércio da Cidade. A principal reivindicação é que a segurança seja intensificada, principalmente, com relação a casos de vandalismo, perturbação do sossego público, embriagues, uso e tráfico de entorpecentes e excesso de velocidade.

Foi discutida até a possibilidade ser implantado o “toque de recolher”, para que os menores sejam proibidos de transitar pela avenida, desacompanhados, a partir de um determinado horário, ou seja, os adolescentes menores de 18 anos só poderiam permanecer na rua no horário noturno após um determinado horário (23h30, por exemplo) se estiverem acompanhados dos pais ou responsáveis.

Estiveram presentes representantes do Conselho de Segurança (Conseg), Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Civil Municipal (GCM), Prefeitura Municipal, Ministério Público, Secretaria de Segurança, imprensa, moradores e empresários. Todos que quiseram se manifestar tiveram a oportunidade de usar a palavra e expor suas reivindicações. Os empresários estão sendo as maiores vítimas, uma vez que seus estabelecimentos comerciais estão sendo, constantemente, danificados.

Uma das alternativas foi a de se instalar câmaras de vídeos para monitorar os trechos onde ocorrem as maiores reclamações e que todos os atos ilícitos ocorridos na Avenida Dom Lúcio sejam registrados e os infratores responsabilizados. “A Câmara de vídeo resolveu os problemas quase na sua totalidade na Praça da Catedral e isso também poderia ser feito ao longo da avenida. É uma alternativa”, disse o secretário de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos.

Os equipamentos seriam adquiridos em regime de comodato junto a uma empresa especializada e instalados nos cruzamentos com as ruas Campos Salles, Visconde do Rio Branco, Prefeito Tonico de Barros, Quintino Bocaiúva, Coronel José Vitoriano Villas Boas, Major Leônidas Cardoso e José Dal Farra. O custo mensal é de cerca de R$ 6 mil. “Por exemplo, se sessenta comerciantes aderirem, o custo mensal será de cem reais por mês”, anuncia o secretário.

Comandante da 1ª Companhia de Polícia Militar, capitão José Semensati Júnior, lembrou que a situação da avenida não pode ser creditada apenas a polícia. “O que não podemos fazer é tirar viaturas de outros bairros da Cidade para atender somente a Avenida Dom Lúcio. Essa iniciativa dos comerciantes é válida e a PM fará sua parte intensificando o patrulhamento, juntamente com a Guarda Civil Municipal (GCM)”, disse o capitão da PM.

O Promotor de Justiça Eduardo Zacharias enfocou que não se pode tirar a liberdade das pessoas de ir e vir da avenida, mas ele entende a preocupação dos comerciantes e moradores, que tem o direito de descansar ? noite e não conseguem por causa do barulho. “Sou favorável a qualquer medida que seja tomada para coibir atos ilícitos na avenida, principalmente, envolvendo adolescentes. Mas, tudo tem que ser feito dentro dos parâmetros da lei, pois todo cidadão brasileiro tem direitos e deveres”, pregou Zacharias.

Prefeito João Cury Neto destacou que, assim como ocorreu na proibição e estacionamento no Largo da Catedral a partir das 23 horas, nenhuma decisão será tomada antes de ouvir a sociedade. “Não queremos tirar ninguém da Avenida Dom Lúcio. As pessoas podem tomar a sua cerveja e reunir os amigos desde que respeitem a lei. O fato é que existe uma situação criminal que precisa ser combatida”, disse. “Não se trata de uma situação de pobre contra rico, branco contra negro. É preciso restabelecer a ordem na avenida. E vamos atacar esse problema”, sacramentou.

Fotos: Quico Cuter