Campanha antirrábica imuniza mais de 22 mil animais em Botucatu

campanha-antirrabica-zona-rural-foto-valdinei-campanucci-1-customApós 16 dias de intenso trabalho nas principais regiões da Cidade, da área urbana até a rural, chegou ao fim na segunda-feira (26) a 45ª Campanha de Vacinação Antirrábica em Botucatu. De acordo com a Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), foram imunizados 22.111 animais: 18.607 cães e 3.504 gatos.

Além dos funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, participaram da ação deste ano alunos e docentes da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, totalizando 120 voluntários.

“Foi uma campanha bastante satisfatória. Ainda mais se levarmos em conta que muitas pessoas já imunizam seus animais de estimação em clínicas particulares. Não é a toa que há mais de 30 anos Botucatu não registra um único caso de raiva em cães ou gatos”, avalia Rodrigo Iais, diretor do Departamento de Saúde Ambiental e Animal da Secretaria Municipal de Saúde.

campanha-de-vacinacao-antirrabica-foto-carlos-pessoa-2“Outro dado que nos surpreendeu positivamente foi que, do total de animais que passaram pela campanha, 38,05% já estavam castrados. Isso mostra que a população está cada vez mais consciente que a castração é um método seguro de controle populacional e um benefício para a própria saúde dos animais”, complementa.

Vale lembrar que, apesar do término da campanha, o Canil Municipal continua como posto permanente de vacinação antirrábica ao longo de todo ano, sempre de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 16h30. O Canil Municipal está localizado na Avenida Itália, s/nº, no Lavapés. O telefone de atendimento é o 3813-2555.

Sobre a doença

A raiva é uma doença infecciosa aguda, causada por um vírus, que compromete o Sistema Nervoso Central.

campanha-de-vacinacao-antirrabica-foto-carlos-pessoa-1No ser humano, de forma geral, pode apresentar sintomas como: febre moderada; dor de cabeça difusa; tontura; sensação de mal estar geral; com dores vagas e/ou generalizadas pelo corpo; coceira (com formigamento ou sensação de arrepio e queimação local) que em geral se inicia ao redor do local da agressão; dor de garganta e/ou dificuldades ao engolir; náuseas; vômitos; dor abdominal (vaga e difusa); alterações de comportamento (ansiedade, nervosismo, insônia, apreensão, agitação, agressividade, depressão e fobias), entre outros.

Cães e gatos podem ter um algum contato acidental com os morcegos, um dos principais vetores da doença. A raiva pode transmitida aos mamíferos, inclusive o homem, através da mordida, arranhão ou lambedura de cães, gatos ou morcegos contaminados pelo vírus. A doença pode também acometer os animais herbívoros como boi, cavalo, ovelha e cabra.

Caso seja mordida por um animal, mesmo se ele estiver vacinado contra raiva, é recomendado que a pessoa lave imediatamente o ferimento com água e sabão, além de procurar com urgência o serviço de saúde mais próximo.

Serviço

Vigilância Ambiental em Saúde

Rua Major Matheus, nº 07 – Vila dos Lavradores

Telefone: (14) 3813-5055 ou 150