Caminhão acaba “engolido” por buraco no asfalto

Na manhã desta quarta-feira um acidente de transito incomum foi registrado no cruzamento das Ruas Major Leônidas Cardoso com a General Telles, região central da cidade. O acidente chamou a atenção de vários populares e comprometeu o transito naquela região da cidade onde o fluxo de veículos é bastante acentuado.

Um caminhão carregando uma caçamba de terra, de uma empresa de materiais de construção, trafegava pela Rua Major Leônidas Cardoso e ao fazer o contorno para “ganhar” a General Telles, acabou sendo, literalmente, engolido por um enorme buraco no asfalto de, aproximadamente, seis metros de comprimento por dois de altura.

Segundo apurou a Polícia Militar, que esteve atendendo a ocorrência no local, o buraco teria sido ocasionado por um vazamento de água sob o asfalto e quando o caminhão passou carregando a caçamba com terra, o piso cedeu e o veículo ficou preso. A retirada da caçamba foi feita por um caminhão guincho.

Segundo moradores, havia um vazamento de água há alguns dias e a Sabesp já teria sido avisada. “Havia um vazamento de água aqui, mas ninguém poderia imaginar que iria causar um estrago deste tamanho. Todo mundo ficou assustado. Espero que esse problema seja solucionado o mais breve possível e que outro acidente desse tipo nunca mais aconteça por aqui”, comentou uma moradora de nome Maria de Lurdes, que acompanhou o trabalho da retirada do caminhão.

O diretor da Sabesp, Arthur Bronzatto, ratificou a versão policial de que o asfalto acabou cedendo em virtude do rompimento da tubulação da rede de água que serve toda aquela região central da cidade. A água levou a terra e formou-se um “oco” sob o asfalto que acabou cedendo com o peso do caminhão carregado de terra.

“Logo que o rompimento aconteceu nós fomos acionados e uma equipe de trabalhadores compareceu no local para reparar o vazamento. Isso causou transtorno em razão de ser necessário interromper a distribuição de água naquela região da cidade, por um determinado período. O problema aconteceu e nós tomamos as providências necessárias para reparar”, explicou Bronzatto.

Fotos: Fernando Ribeiro