Botucatu terá nova sede do Instituto Médico Legal e Criminalística

Ao final da tarde desta terça-feira chegou informação de que em audiência realizada na Superintendência da Polícia Técnico-Científica, em São Paulo, o prefeito João Cury Neto teve a oportunidade de discutir com o superintendente Celso Perioli, os detalhes que envolvem o projeto de construção do prédio que abrigará o Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística (IC). O encontro também contou com a participação do médico chefe do IML de Botucatu, Dr. Felipe Jorge Heimbeck e do auxiliar de necropsia, Rodrigo Martins da Silva.

Segundo o prefeito, o problema vem se arrastando há anos e a solução até hoje não foi viabilizada porque no passado o município não disponibilizou uma área para a construção do novo prédio, ao contrário do que fizeram, por exemplo, Avaré e Itapeva. Nos últimos anos, o Governo do Estado instalou 11 unidades no interior e duas na capital.

A situação de Botucatu se agravou no início de 2009, quando a Vigilância Sanitária decidiu interditar as instalações do Cemitério Portal das Cruzes onde eram feitas as necropsias, alegando falta de estrutura adequada para realização dos serviços, que foram transferidos para a vizinha cidade de São Manuel. O IML de Botucatu atende aproximadamente 300 pessoas por mês, com exames periciais e cerca de 20 exumações de cadáveres.

Mas na reunião desta terça-feira praticamente foram acertados os detalhes para que a obra, enfim, seja realizada. O prefeito João Cury confirmou a doação ao Estado de um amplo terreno pertencente ao município, localizado nas imediações da Cadeia Pública, no Bairro Alto. Após aprovação da Procuradoria Jurídica da Secretaria da Segurança Pública, o processo seguirá para a Casa Civil, onde será elaborado o decreto que levará a assinatura do governador, autorizando a construção do novo prédio.

A sede do IC/IML vai garantir ? Botucatu maior agilidade e melhor estrutura na produção de provas judiciais e a integração entre os dois institutos da Polícia Científica. O custo da obra está estimado em R$ 1,5 milhão e o prazo de execução é estimado em 10 meses.

“Na última quinta-feira, recebi um grupo de funcionários do IC e do IML na prefeitura. Felizmente em menos de uma semana, agendamos essa audiência com o Dr. Celso Perioli. Ele demonstrou todo interesse em resolver a situação de Botucatu, que se arrasta há anos. Agora farei gestões junto a Casa Civil na tentativa de garantir que esse decreto seja publicado ainda este ano. O projeto já está pronto e o Estado nos repassará os recursos para licitar a obra”, comemora João Cury.

O chefe do IML de Botucatu, Dr. Felipe Heimbeck, classificou a reunião como excelente e acredita que a solução para o problema finalmente está perto de ser concretizada. “O prefeito foi muito eficiente e o Dr. Celso muito sensível ao nosso problema”, declara.

Durante a audiência, o prefeito formalizou pedido para que Botucatu seja contemplada com novas viaturas, computadores e notebooks, além da contratação de novos funcionários (desenhistas, peritos, fotógrafos e auxiliares administrativos). “O Dr. Celso disse que se empenhará na tentativa de atender o nosso pleito”, coloca o chefe do Executivo Municipal.