Botucatu tem uma das tarifas de ônibus mais altas do estado

Contrariando a população que usa, cotidianamente, o transporte coletivo urbano, o novo preço da tarifa começou vigorar nesta sexta-feira (1º de julho). O reajuste foi de 8,51% subindo de R$ 2,15 para R$ 2,35, em todas as linhas distribuídas pelos bairros da Cidade e deixa Botucatu com uma das maiores tarifas do Estado de São Paulo. A resolução havia sido publicada no último Semanário Oficial do Município, datado de 24 de junho de 2011.

Com isso, uma pessoa que usa dois coletivos por dia (ida e volta do trabalho) terá que desembolsar R$ 4,70, ou seja, R$ 141,00 por mês. Para quem usa quatro ônibus (ida ao trabalho, saída e retorno do almoço e término do expediente), gasta R$ 9,40 por dia, ou seja, R$ 282,00 por mês, aproximadamente, metade do salário mínimo que é o rendimento mensal da grande maioria do povo brasileiro.

Durante esta semana foi divulgado que a medida foi tomada em conjunto com o Conselho Municipal de Transporte, que é formado por representantes do Poder Público, a concessionária Empresa Auto Ônibus Botucatu (EAOB) e membros da sociedade civil. De acordo com a Secretaria Municipal de Transporte (Semutran), o reajuste se fez necessário uma vez que o último havia sido efetuado em novembro de 2009, totalizando 18 meses sem aumento na passagem de ônibus.

Vale lembrar que a EAOB explora sozinha o transporte coletivo urbano da cidade e entrou na Justiça se posicionando contra a licitação que foi feita para que uma outra empresa pudesse a operar na cidade que ficaria com duas empresas do setor, como pretende o prefeito João Cury Neto, para dar mais opção para os usuários. Além desse processo contra a licitação, a empresa já havia entrado com uma ação na Justiça, no final de 2008, alegando que estava operando no prejuízo e pedia ressarcimento, ocasionando atraso o processo licitatório. O secretário municipal de Transporte, Vicente Ferraudo, acredita que até o final do ano duas empresas poderão estar operando na cidade.

Para chegar a este aumento, foram formuladas cinco propostas, para análise de seus membros e chegou-se a conclusão que o valor de R$ 2,35, ou seja, 8,51% de reajuste, atende as questões técnicas e financeiras para que a concessionária mantenha o serviço na Cidade. A EAOB queria um aumento ainda maior do que esse que foi dado.

Apesar de a empresa ter o direito de pleitear aumento da tarifa anualmente, a Semutran não efetuou o reajuste em novembro de 2010, que já atingiria valor próximo a R$ 2,35, em virtude do adiamento da licitação para a contratação de empresas para a prestação do serviço de transporte público no Município. O edital de licitação para contratação está em fase de correção por determinação do Tribunal de Contas e deverá ser retomado na primeira quinzena de julho. Ele prevê a contratação de duas empresas distintas para a prestação do serviço de transporte coletivo urbano em dois diferentes lotes de linhas.

Atualmente, o serviço de transporte coletivo urbano em Botucatu é composto por 53 ônibus (sendo cinco reservas) que circulam em 45 linhas. A média de passageiros transportados por mês, que pagam a tarifa na sua totalidade, é de aproximadamente 496 mil usuários. Do total de 42.750 estudantes que utilizam o serviço, 50% (quase 22 mil) pagam metade da tarifa. O serviço é gratuito para idosos a partir de 65 anos e deficientes físicos.