Botucatu inicia a campanha contra as queimadas

Botucatu está unida mais uma vez no combate contra as queimadas. A campanha deste ano já ganhou a Cidade através de folders, cartazes, outdoors e outros meios de comunicação. O slogan “Queimada: Apague essa Ideia!” é um alerta a um crime ambiental (conforme Lei Estadual 9.605/98 – com pena de dois a quatro anos de reclusão) que cresce no inverno. Nesta época a temperatura mais baixa, ventos mais fortes e o clima seco, com menor volume de chuva, tornam o ambiente propício ao surgimento de um maior número de focos de incêndio.

Por estes motivos a campanha busca conscientizar a população botucatuense sobre os prejuízos gerados pela queimada e estimular as denuncias contra esse tipo de ação. De acordo com a Lei Complementar 1.007, de novembro de 2012, o uso de fogo para a limpeza de terrenos em Botucatu pode gerar multa de R$ 100 mais R$ 5 por metro quadrado da área queimada. Em caso de reincidência, a multa passa para R$ 200 mais R$ 10 por metros quadrado. Em Áreas de Preservação Permanentes (APPs) os valores destas multas são aplicados em dobro.

Na manhã desta terça-feira (24), o coordenador da Defesa Civil de Botucatu, Paulo Renato da Silva, ao lado dos agentes Carlos e Amâncio, da Patrulha Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM), abordaram moradores e comerciantes do entorno do Morro de Rubião Júnior. Todo ano o local é alvo de queimadas e por isso se tornou símbolo da campanha.

“Ano passado, nesta mesma época, teve um (incêndio) sem controle. Foi muita fumaça, sem falar no perigo do fogo chegar perto das casas”, conta Tiago Crispim, que ao lado do pai Fábio, gerencia há dois anos uma pousada aos pés do morro.

“A campanha vai até agosto. Estaremos fazendo bloqueios educativos nas ruas, orientações nas áreas de maior incidência de queimadas e atividades junto os alunos de nossas escolas. Temos que manter acesa a ideia de que praticar queimada é um crime contra nós mesmos, um risco ao meio ambiente e à vida humana. Por isso é preciso que a população denuncie para que possamos atuar de forma preventiva”, defende Paulo Renato.

 

Combate a incêndio
De acordo com o site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de janeiro a junho deste ano, já foram detectados por satélite mais de 700 focos de incêndio no Estado de São Paulo. Nesta época do ano, o Corpo de Bombeiros de Botucatu chega a atender, em média, dez ocorrências diárias relacionadas a queimadas.

“Fazemos triagem de cada caso, mas na maioria das vezes o fogo tem início de forma intencional, de ação humana, principalmente para a limpeza de terrenos”, comenta o tenente Edson Winckler, comandante do Grupamento dos Bombeiros de Botucatu.

Em maio passado, na cidade de Sorocaba, membros da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Defesa Civil e Patrulha Ambiental também passaram por uma oficina preparatória para a Operação Estiagem 2014. Eles foram capacitados para formar a Brigada Municipal e auxiliar no combate a pequenos focos de incêndio.

“A população deve estar consciente dos perigos causados pelas queimadas. Uma simples bituca de cigarro jogada à beira de áreas verdes pode provocar incêndios de grandes proporções, que trazem danos não só à nossa rica fauna e flora, como também ao ser humano”, argumenta o secretário de Meio Ambiente, Perseu Mariani.

A campanha contra as queimadas em Botucatu é uma parceria entre a Prefeitura (Defesa Civil, GCM e Secretaria de Meio Ambiente), Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) e ONG S.O.S Cuesta.

 

Principais causas de incêndio
– Bitucas de cigarro;
– Fogueiras;
– Queima não controlada em pastos e canaviais;
– Queima de lixo;
– Descuido humano

 

Prejuízos das queimadas
– Destruição de plantações e construções rurais;
– Perda de remanescentes florestais;
– Morte de animais silvestres (inclusive espécies em extinção);
– Poluição do ar
– Agravos à saúde (principalmente doenças respiratórias e alergias);
– Contribuição para o aquecimento global (produção em excesso de dióxido de carbono);
– Acidentes com queimaduras e até mesmo morte de pessoas;

Denúncia
Defesa Civil: 199
Polícia Militar/Polícia Ambiental: 190
Corpo de Bombeiros: 193