Botucatu está monitorando ônibus em tempo real

Botucatu tem mais de 130 mil habitantes. Cerca de 27 mil pessoas utilizam o transporte coletivo municipal em dias de semana, e outros 15 mil e 5 mil aos sábados e domingos, respectivamente. Cada um do total de 60 ônibus operacionalizados, em divisão pela São Dimas e Stadtbus (empresas que detêm o consórcio do transporte coletivo), chega a percorrer em média 450 km por dia no Município, que já conta com uma frota total de 87 mil veículos (carros, motos e caminhões).

Com este foco a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semutran) montou um Centro de Controle de Operações (CCO) na abertura da Semana Nacional de Trânsito 2014. O sistema garante um salto de qualidade no monitoramento e gestão da frota de ônibus que circula pela Cidade.

Ele permite acompanhar o atendimento da oferta da frota programada e a pontualidade dos ônibus por linhas, acionando com rapidez a empresa responsável para solucionar possíveis atrasos ou emergências. Os sensores dos veículos como rotação do motor, câmbio engatado, portas abertas, controle da velocidade máxima também podem ser monitorados para a segurança do veículo e consumo econômico do combustível. Tudo isso através de dispositivos GPS’s instalados nos veículos que se comunicam em tempo real com a central montada na Semutran.

Os dados fornecidos ainda estão sendo compilados para que ainda neste ano o próprio passageiro tenha acesso à previsão do horário de passagem de um ônibus, em um determinado ponto e linha, por meio de um smartphone ou computador conectado à internet. Por enquanto as informações já têm ajudado a fiscalizar, diagnosticar problemas e promover soluções ao transporte coletivo.

“Botucatu, pelo tamanho, é uma cidade pioneira. Normalmente o monitoramento do transporte público é realidade de algumas capitais, mas não em cidades menores. Então está de parabéns a Semutran pelo desafio de cuidar do transporte público. Outro aspecto importante é que essa união das empresas privadas e poder público poderá também contar com a união da fiscalização do próprio usuário. A cada 30 segundos o sistema fica atualizando. Então ele (passageiro) pode adiar a chegada ao ponto se tiver uma situação de chuva ou muito sol e também criticar se aquele horário está muito diferente da tabela prevista”, diz Eliomar Bertollo, gerente de projetos da Transdata Smart, empresa prestadora do serviço.

 

Parquímetro

A Semutran ainda instalou câmeras para monitoramento na Avenida Floriano Peixoto, principal trecho de ligação Centro/Norte e que chega a registrar a passagem de 25 mil veículos por dia. Em outro monitor também é possível conferir com precisão as fiscalizações do parquímetro, sistema para estacionamento rotativo de veículos em operação desde 2012 no Município.

Todos esses investimentos em tecnologia que compõe a central de monitoramento [pouco mais de R$ 100 mil/ano] são possíveis de serem realizados a partir das outorgas pagas pelas empresas que prestam serviço ao trânsito de Botucatu. As que operam o transporte público, por exemplo, repassam ao Fundo de Apoio ao Transporte Coletivo 4,87% (São Dimas) e 7,11% (Stadtbus) do seu faturamento mensal. Já do sistema de estacionamento rotativo a Semutran obtém 11,40% sobre o faturamento da empresa que opera o serviço (Autoparque do Brasil).

“Hoje a gente tem 100% da frota fiscalizada e em tempo real. A gente consegue relatórios de dias anteriores, importante pra gente fazer a cobrança das empresas de ônibus. Linhas como a da Cohab/Jardim Paraíso, que faziam meia hora para ir e meia hora para voltar, hoje já têm outra realidade. Com esse sistema já proporcionou a colocação de mais carros nas linhas pra que a gente consiga manter a mesma frequência, viagem por viagem”, explica. 

“Já as câmeras são importantes pra adequação do sistema semafórico. A gente já consegue fazer contagens, ver os períodos com maior volume de veículo e o controle também do estacionamento na Cidade. Acho que a tecnologia veio para nos ajudar. Não se faz trânsito em nenhuma cidade do Brasil se a gente não dispuser de tecnologias inteligentes, que proporcionam a gente errar menos”, completa.