Botucatu dá o primeiro passo para instalação do SESC

O prefeito João Cury Neto recebeu neste final de semana o superintendente de engenharia do Serviço Social do Comércio (SESC), de São Paulo, engenheiro, Sérgio Battistelli, para discutir a possibilidade de uma unidade ser instalada em Botucatu, para atender a toda região. Também fizeram parte da comitiva Juliano Emanuel Vieira, gerente de contas da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), Fátima Baldini, presidente do Sindicato dos Comerciantes e Layre Colino Júnior, superintendente regional da Sabesp.

O prefeito levou os visitantes a três pontos distintos do Município que poderiam ser disponibilizados para Instalação do SESC: a área de manutenção da antiga Rede Ferroviária Federal (RFF) na Vila Ema; uma área que pertence ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER), na Rodovia João Hipólito Martins – Castelinho e uma na região onde está sendo construído o Parque Tecnológico, na Rodovia Gastão Dal Farra.

Depois da visita o superintendente do SESC salientou que as áreas disponibilizadas são boas, principalmente, a da Rede Federal. Alegou que para a vinda da SESC para Botucatu pode se tornar realidade uma nova visita Botucatu deverá ser agendada, para dar continuidade ? s tratativas e discutir recursos para construção do prédio e manutenção da unidade.

“Estamos levando para São Paulo a melhor das impressões. Iremos elaborar um relatório mostrando o que Botucatu pode oferecer. Esse foi apenas o primeiro passo para a instalação do SESC que desenvolve uma ação de educação informal e permanente com intuito de valorizar as pessoas ao estimular a autonomia pessoal, a interação e o contato com expressões e modos diversos de pensar, agir e sentir”, disse Battistelli.

João Cury não escondeu seu otimismo. “Estamos satisfeitos em iniciar essa tratativa para trazer uma unidade do SESC para Botucatu. É muito bom ter uma unidade que ofereça atividades de turismo social, programas de saúde e de educação ambiental, programas especiais para crianças e terceira idade, entre outros”, enumerou o prefeito. “O que estiver ao nosso alcance iremos fazer para viabilizar esse projeto destinado a todos os públicos, em diversas faixas etárias e estratos sociais”, emendou Fátima Baldini.

O chefe do Executivo Botucatu ressalta que a ação do SESC é fruto de um sólido projeto cultural e educativo que trouxe, desde sua criação pelo empresariado do comércio e serviços, há 60 anos, a marca da inovação e da transformação social. “Uma unidade em Botucatu atenderia a toda região. No Estado de São Paulo, o SESC conta com uma rede de 32 unidades, em sua maioria centros culturais e desportivos e Botucatu poderá contar com sua unidade. O meu empenho a esse projeto será amplo e irrestrito”.

Fotos: Valéria Cuter