Banco do Povo de Botucatu bate recorde de empréstimos

O Banco do Povo Paulista de Botucatu fechou 2011 com recorde de empréstimos concluídos. Nos últimos 12 meses a unidade registrou R$ 438.662,98 em créditos distribuídos em 107 contratos aprovados, se tornando assim o melhor ano do programa desde o início de sua operação no Município, em agosto de 2000. Esses números são quase o dobro dos que os registrados em 2010, quando foram liberados R$ 253.226,13 em 63 contratos aprovados.

A maior arrancada foi efetuada em dezembro do ano passado, quando foram disponibilizados pouco mais de R$ 102 mil em 20 contratos junto ? microempreendedores da Cidade, tornando-se assim o melhor mês de desempenho do banco em Botucatu.

Para se ter ideia, no último mês de 2010 o montante em empréstimos havia chegado a apenas R$ 22,6 mil. Em valores absolutos o melhor mês da história do Banco do Povo em Botucatu, até então, era agosto de 2006 quando foram gerados 15 contratos e empréstimos que totalizaram R$ 52 mil. Já o melhor ano da agência de microcrédito na Cidade era o de 2008, com R$ 314 mil em financiamentos e 79 contratos.

O resultado positivo vem de encontro com a intensificação da divulgação e planejamento para a capitação de novos clientes executada pelos agentes locais do Banco do Povo. Além disso, desde outubro do ano passado, a agência de crédito reduziu ainda mais a taxa de juros, de 0,7% para 0,5% ao mês, a menor do País voltada a microempreendedores como cabelereiros, comerciantes, costureiras, motoristas, entre outros.

Qualquer pessoa que exerce uma atividade produtiva, independente de ter ou não CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), pode fazer o empréstimo pelo Banco do Povo, desde que o faturamento bruto do microempresário não ultrapasse os R$30 mil ao mês [R$360 mil por ano] e o crédito seja destinado exclusivamente ? s atividades produtivas de autônomos ou empresas.

O limite de crédito também foi ampliado de R$ 7.500 para R$ 15 mil. As pessoas físicas podem obter empréstimos de R$ 200 até R$ 10 mil, com prazo de pagamento em até 24 parcelas. Já as pessoas jurídicas o empréstimo pode chegar até R$ 15 mil com parcelamento em até 36 vezes. Tudo mediante a análise de crédito.

Para pessoas físicas, com menos de seis meses de atuação, o primeiro crédito solicitado pode ser de R$ 3 mil e para os empresários com mais tempo de atividade o valor do empréstimo inicial sobe para R$ 5 mil. No caso da pessoa jurídica, com menos e mais de seis meses de CNPJ aberto, o financiamento inicial pode chegar a R$ 5 mil e R$ 7,5 mil, respectivamente.

O Banco do Povo fica na Praça Professor Pedro Torres, nº100 – Centro, telefones: (14) 3811-1443/3811-1488
e-mail: bancodopovo@botucatu.sp.gov.br
Site: www.bancodopovo.sp.gov.br

{n}Empreendedorismo{/n}

O Governo do Estado de São Paulo também promove o curso gratuito de empreendedorismo do Banco do Povo Paulista. Através dele, empreendedores recebem noções básicas de como gerir seu empreendimento, potencializando o uso do microcrédito produtivo orientado para o desenvolvimento de suas atividades produtivas. Ele é oferecido ? distância, com a utilização de material impresso, vídeos e facultativamente internet.

O curso traz orientações para todos os ramos: atividades rurais, industriais, comerciais e serviços, ensinando, passo a passo, como evitar as armadilhas do mercado e manter o controle sobre seu empreendimento.

{n}Banco do Povo Paulista{/n}

O que pode financiar?
• Abertura e regularização de empresas
• Compra de mercadorias e matérias-primas
• Compra e conserto de máquinas e equipamentos
• Compra de animais e insumos agrícolas

{n}Condições{/n}

• Até 36 vezes para pagar
• Carência de até 90 dias
• Taxa de juros 0,5% ao mês

{n}Requisitos{/n}

• Desenvolver atividade produtiva (formal ou informal);
• Se pessoa física, residir ou ter negócio no município há mais de dois anos;
• Ter faturamento bruto de até R$ 360 mil/ano;
• Não possuir restrição cadastral;

{n}Garantias exigidas{/n}

• Avalista (pessoa física, com nome limpo, pode ser parente de 1º grau que não participe do negócio);
• Alienação fiduciária dos bens financiados (quando se tratar de automóveis ou motocicletas)

Da assessoria