Balcão da Cidadania e Ouvidoria fecham balanço de 2014

A Secretaria Municipal de Descentralização e Participação Comunitária finalizou o relatório de atendimentos 2014 do Balcão da Cidadania e Ouvidoria Municipal, dois dos principais canais de comunicação entre a população e a Prefeitura de Botucatu.

A Ouvidoria Municipal foi uma das primeiras ações criadas pela atual gestão do prefeito João Cury Neto, ainda no ano de 2009. No ano passado foram 663 atendimentos, com 441 (67%) de casos resolvidos, entre reclamações, sugestões, denúncias e elogios. Outros 222 casos (33%) continuam em andamento para resolução. Pela Ouvidoria as áreas mais acionadas em 2014 foram Obras (114 casos), Fazenda (107 casos) e Saúde (76 casos). A maioria das ocorrências, isto é 90%, ainda é feita presencialmente no prédio principal da Prefeitura ou pelo telefone.

Já o Balcão da Cidadania é um mecanismo criado em 2013 como forma de triar os pedidos que fazem parte da rotina dos serviços públicos e geram maior demanda da população como tapa-buracos e pequenos reparos de infraestrutura, sinalização de trânsito, ações de fiscalização, entre outros. Ano passado o Balcão recebeu 714 solicitações, dos quais 612 (85%) já foram solucionados. Os demais estão em andamento. Destaque para as solicitações nas áreas de Obras e Saúde, que foram 100% resolvidas.

No Balcão da Cidadania o munícipe solicita serviços, pede informações e recebe um protocolo para acompanhar a situação da ocorrência. O Balcão também faz a intermediação e orienta nos casos em que o serviço requisitado não é de responsabilidade da Prefeitura. Quando o serviço não for solucionado, ou seja, feito de forma não satisfatória ou fora do prazo, o cidadão entrará com a ocorrência na Ouvidoria. É uma forma de sistematizar e avaliar melhor os serviços.

Na avaliação do secretário de Descentralização e Participação Comunitária, Paulo Sérgio Alves, os números da Ouvidoria e Balcão da Cidadania provam o quanto estes canais de comunicação ganharam em credibilidade junto à população botucatuense. “E estamos percebendo que o Balcão já está passando a Ouvidoria no volume de solicitações, o que é positivo pois são pedidos que têm prazo para serem resolvidos e deixam de virar processo, tornando a resolução de cada caso mais ágil para o cidadão”, argumenta.