Autoridades discutem operação para prevenir situações de risco

Uma reunião convocada pelo coordenador da Defesa Civil de Botucatu, Paulo Renato da Silva, por determinação do prefeito João Cury Neto, contou com a presença de representantes de diversas instituições para discutir as ações que serão executadas na “Operação Verão”, com objetivo de otimizar os recursos existentes e antecipar situações de risco resultantes do período das chuvas, que se estende de dezembro de 2012 a março de 2013.

Estiveram nesse encontro os secretários municipais Adjair de Campos (Segurança e Direitos Humanos), Vicente Ferraudo (Mobilidade Urbana), Perseu Mariani (Meio Ambiente), Amélia Maria Sibar (Assistência Social), Nivaldo Vizotto (Planejamento), André Peres (Obras), Carlos Pessoa (Comunicação), Paulo Sérgio Alves (Descentralização e Participação Comunitária); do comandante da Polícia Militar, Wagner Tardelli; do comandante da Guarda Civil Municipal, Sérgio Luiz Bavia; do superintendente da Sabesp, Mário Pardini Affonseca; do gerente da CPFL, Francisco Ramos de Oliveira; do presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Clóvis Martins; do comandante do Corpo de Bombeiros, tenente Edson Winckler Filho; do instrutor do Tiro Guerra, Berdeleu Aliboski e do comandante da 1ª Cia da Polícia Militar, capitão José Semensati Júnior.

Durante a reunião, o prefeito destacou o trabalho iniciado em seu primeiro mandato voltado ? institucionalização da Defesa Civil, criando condições efetivas para que o órgão possa responder as demandas da população. “Até então a Defesa Civil existia apenas no papel. Estamos cientes que daqui pra frente os municípios terão que se preparar cada vez mais para enfrentar os problemas decorrentes das mudanças climáticas”, disse o prefeito.

Nossa ação, continua João Cury, não pode ser apenas curativa. “Temos que atuar preventivamente. Por isso decidimos dotar a Defesa Civil da estrutura necessária para cumprir seu papel. Nesse sentido, o papel das instituições aqui presentes é fundamental para o sucesso de nossas ações”, disse.

Em seguida, o coordenador Paulo Renato da Silva fez a apresentação das principais ações que a Defesa Civil deverá executar durante a Operação Verão, que incluem: limpeza da calha dos rios que cortam a cidade; manutenção e limpeza de bueiros; manutenção do sistema de galerias de águas pluviais; monitoramento e manutenção de pontes e das principais vias rurais.

Na área de planejamento estão previstas vistorias técnicas de campo em prédios localizados em pontos de vulnerabilidade e mapeamento de possíveis áreas de risco. Também serão realizadas vistorias preventivas em árvores e ações que agilizem a pode a retirada de árvores que oferecem risco de queda.

Entre as medidas de caráter orientativo destacam-se: campanhas de caráter educativo e preventivo executadas em parceria com a Guarda Municipal em locais de maior incidência e vulnerabilidade de ocorrências; orientação e distribuição de material educativo na rede pública e particular de ensino; realização de pedágios (Defesa Civil Itinerante) em pontos de grande circulação e nos bairros e agendamento de entrevistas nos principais veículos de comunicação e utilização.

Ações de natureza institucional também estão programadas, entre elas a criação da Comissão de Atendimento de emergências e criação do gabinete de gerenciamento de crise para atuar em ocorrências de maior gravidade. Os participantes do encontro puderam apresentar sugestões para potencializar ainda mais as ações durante a Operação Verão e para aperfeiçoamento dos métodos de trabalho da Defesa Civil no município.

Uma das propostas aprovadas foi de criação do Conselho Municipal de Defesa Civil que deverá ser montado com auxílio do presidente do Conselho de Segurança (CONSEG), Clóvis Martins. O representante de cada instituição comprometeu-se em apresentar os recursos humanos e materiais que poderão colocar ? disposição em caso de ocorrências de maior gravidade.