Árvore da espécie araucária centenária desaba em via pública

Os fortes ventos que assolaram a cidade na noite de ontem, por muito pouco não foi responsável por uma tragédia de grandes proporções. Uma árvore da espécie araucária (que está em vias de extinção) de aproximadamente 25 metros de altura desabou em via pública. A árvore estava em uma chácara na Rua Vitor Atti, que faz divisa com a sede da Guarda Civil Municipal (GCM) e pertence ao patrimônio da antiga Rede Ferroviária Federal (RFF), que está sendo administrado pela Prefeitura Municipal.

Essa rua é a principal via de acesso para a parte alta da cidade como a Vila dos Lavradores e Jardim Paraíso, por onde o tráfego de automóveis é bastante acentuado e é um corredor de ônibus. A árvore “quebrou” 30 centímetros acima da raiz, estourou a rede de fiação elétrica, quebrou o muro da chácara e caiu do outro lado da rua, atingindo o telhado, o muro da casa número 38 / 34 e um veículo que estava estacionado. Vários bairros ficaram ? s escuras.

Apesar do grande susto e da falta de energia elétrica ninguém ficou ferido. No momento em que a árvore caiu não havia nenhum carro trafegando ou pessoas caminhando. Uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no local para cortar os galhos e liberar a rua, assim como profissionais da Companhia Paulista de Força e Luz. A Polícia Militar (PM) e a Guarda Civil Municipal (CGM) controlaram o transito, já que se formou um congestionamento.

“O barulho foi ensurdecedor e, de repente, tudo ficou na mais completa escuridão. A gente não sabia o que estava acontecendo. Foi uma gritaria só e a queda quase matou todo mundo de susto. Nem a vela a gente achava”, lembrou Dalva Nascimento, de 46 anos que estava jantando ao lado do marido quando tudo aconteceu. “E por aqui passam ônibus a cada 10 ou 15 minutos. Graças a Deus ninguém ficou ferido. Se essa árvore tivesse caído em cima de um ônibus de passageiros a tragédia ia ser grande”, previu.

O comandante da Guarda Municipal, Paulo Renato esteve no local avaliando a situação e confirmou que não houve feridos. “Apesar dos danos materiais não registramos vítimas. O local tem um fluxo de veículos de pequeno e grande porte e essa foi nossa primeira preocupação ao tomarmos conhecimento do acidente”, frisou o comandante.

Como nesta chácara existem outras árvores do tipo araucária, deverá ser feito nos próximos dias um levantamento por profissionais especializados para avaliar em que situação elas se encontram. Não está descartada a possibilidade de que venham a ser derrubadas caso seja confirmado que oferecem risco de queda.