APA mantém “feirinha” de cães e gatos em praça pública

Fotos: Valéria Cuter

Oficialmente fundada em 23 de junho de 2003, em Botucatu e, declarada de Utilidade Pública em 2004, a Associação Protetora dos Animais (APA) vem realizando um trabalho com a finalidade de estreitar as relações de convivência entre os seres humanos e animais.

Um dos principais objetivos da entidade é executar um trabalho educacional sobre posse responsável e a castração de animais domésticos (cães e gatos), evitando crias indesejadas. A APA não possui abrigo institucional, mas cuida de animais abandonados e levados para a feira de doação que é realizada nas manhãs de sábado na Praça Comendador Emílio Peduti – Bosque.

Mesmo tendo vários animais para serem doados na feirinha, os voluntários da APA procuram fazer uma espécie de triagem com os futuros proprietários para saber se, realmente, têm condições de cuidar do animal.

De acordo com a voluntária da APA, Maria de Fátima Almeida Silva, os animais disponibilizados para a doação passam por atendimento veterinário, são vacinados, vermifugados e castrados. “Nosso trabalho de castração não pode ser interrompido, pois é a única forma que temos de diminuir a população de animais indesejados que fatalmente são abandonados, morrem ou exibem uma triste visão nas ruas de Botucatu”, frisa Maria Silva.

Lembra que o trabalho desenvolvido com animais é fundamentado pelo Decreto da Lei n° 24.645/34 e Lei Federal n° 9.605/98, que dispõem sobre a tutela de todos os animais pelo Estado e sobre as sanções penais e administrativas que são aplicadas a todo aquele que praticar atividade lesiva ao meio ambiente, incluindo maus tratos, abandono e crueldades contra animais.

Voluntária ressalta que estas idéias são compartilhadas por muitas outras pessoas e, desta forma, é possível tornar o grupo cada vez maior, mais forte e significativo neste ideal de respeito e conservação da vida. Frisa, também, que a APA é uma associação formada por pessoas que se uniram por compartilharem um sentimento comum: o amor e o respeito ? vida, mas necessita da ajuda da municipalidade.

“Pedimos aqueles que possam contribuir com qualquer quantia que entrem em contato conosco, aqui mesmo na Praça do Bosque aos sábados, pois necessitamos em alguns casos de suplemento alimentar, medicação, pagamento de honorários aos veterinários e diárias de internação”, complementa.