Agendamento de casas deve chegar a sete mil pessoas

Fotos: Danilo Ramos

 

Termina na tarde desta sexta-feira (9) o prazo para o agendamento aos interessados em efetuar suas inscrições para participar do sorteio das casas populares. De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, milhares de pessoas passaram pelo ginásio municipal de esportes, no Bairro Alto, nos últimos três dias.

Muitas pessoas chegaram a fazer plantão nos portões do ginásio.  Cerca de 40 atendentes foram recrutados para realizar o atendimento à população. Quem passa pelo agendamento recebe um papel com o dia e a hora em que será atendido para efetivar a sua inscrição, além da relação de documentos que deverá apresentar. As inscrições serão feitas de 12 a 16 de janeiro, também no ginásio municipal de esportes. 

Como no período de agendamento não há necessidade de conferência de dados.  “É importante que fique claro que o agendamento é obrigatório. Só poderá fazer inscrição quem passar por essa etapa”, informa o secretário municipal de Habitação, José Carlos Broto.  “Tudo ocorreu dentro do previsto, mesmo com o vasto número de famílias participantes e devemos atingir sete mil agendamentos”, previu o secretário.

Depois de realizadas todas as inscrições será marcada a data para o sorteio público que definirá os titulares e os suplentes para a aquisição das moradias. Das 71 casas, 7% serão destinadas a pessoas com deficiência, 5% a idosos e 4% a policiais ou agentes penitenciários. Treze unidades serão destinadas à famílias que vivem em áreas de assentamentos precários em situações de risco. As demais serão sorteadas entre a população geral inscrita. 

O Residencial Nova Esperança foi viabilizado pela parceria entre a Prefeitura de Botucatu e a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano). Os interessados devem ter renda familiar de um a cinco salários mínimos, residir ou trabalhar no município há três anos, não ser proprietário de imóvel e não possuir financiamento habitacional. Policiais devem trabalhar na cidade e idosos devem comprovar idade mínima de 60 anos. Indivíduos sós deverão ter, no mínimo, 30 anos para participar do processo.

Com custo de R$ 5 milhões, o Residencial Nova Esperança está sendo construído ao lado do Residencial Caimã, no distrito de Rubião Júnior. As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro. As unidades contarão com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos no banheiro e nas paredes da cozinha e muro de divisa entre os lotes. O prazo de financiamento das moradias será de até 25 anos. As prestações serão calculadas de acordo com a renda familiar.